domingo, 17 de fevereiro de 2008

:)

Sabe, descobri por esses dias que não me sinto bem quando passo muito tempo sem escrever. Mentira, eu sabia disso há um tempão. Só queria escrever “descobri por esses dias”. Descobertas... Essas coisas.

Então, eu poderia morrer se ficasse um grande período sem escrever uma linha que fosse. Não morrer de parar de respirar, morrer de verdade. Mas morrer por dentro, parar de respirar literariamente.

Palavras ditas, pra mim, são as mais difíceis de fazerem e terem sentido. É que eu tenho muita (muita!!) coisa pra dizer, muita coisa pra expressar, e quando penso em falar tudo o que existe em mim, acabo me atrapalhando, e tudo o que sai são frases sem lógica. Totalmente atrapalhadas. E sem dizer o que eu realmente sinto, o que é pior. Tenho grande dificuldade em conversar. É que eu penso inúmeras coisas, todas de uma vez só...

[Importante ressaltar:
Eu consigo conversar decentemente com meu namorado, mas com ele é diferente... Sempre é diferente. Mas a explicação da diferença vem um outro dia, num outro post.]

Já escrever não. Me permite pensar muito antes de desenhar qualquer letra. Deixa que eu me acalme, que eu sinta antes de expressar. E o mais importante: permite que o que me desagrada seja apagado, e pronto, ninguém vai saber que algo esteve ali registrado em algum momento. Só eu. E eu sei guardar segredos.

Pois é, voltei com o blog.

8 comentários:

thony oscar disse...

do amante ngm fala neh?!
haiauahaiauhaiauahjaiauahaiau (brinkdseira viu Jesus? paz e amor na terra)
e eu adoro conersar com vc! e passar muito tempo sem escrever nem q seja uma bobeirinha qualquer faz falta, mente xeia e parada pesa! *_- ti amuh mocinha e ce sab!

Raquel disse...

Eu já tenho dificuldade pra me expressar verbalmente e escrevendo é a mesma coisa. Cheguei a essa conclusão semana passada, porque já não era a primeira vez que me diziam que eu mudava "bruscamente de assunto" e que isso era bom. Sei lá. É difícil expressar de qualquer forma o que eu sinto, sei lá. Pior ainda quando eu estou nervosa, que eu começo a gaguejar. Nossa, é tão absurdo.
Esse negócio de deletar coisas que eu já escrevi — nem faço. Acho feio. Mas eu lembro bem de quando você, em um dia, ao acaso, abordou-me e falou disso, que achou seu blog terrivelmente triste e deleotu. Por impulsão. Toda cheia da impulsividade, que nem eu. Dia desses eu estava relendo umas coisas que eu escrevi quando estava cheia das dores de amor e dos melodramas. Nossa, fiquei horas rindo daquilo, aliás, nesses tais dias desses, eu estava meio sem coração, calculista. Enfim.

Que bom que voltou. :D
Beijo.

Raquel disse...

Eu já tenho dificuldade pra me expressar verbalmente e escrevendo é a mesma coisa. Cheguei a essa conclusão semana passada, porque já não era a primeira vez que me diziam que eu mudava "bruscamente de assunto" e que isso era bom. Sei lá. É difícil expressar de qualquer forma o que eu sinto, sei lá. Pior ainda quando eu estou nervosa, que eu começo a gaguejar. Nossa, é tão absurdo.
Esse negócio de deletar coisas que eu já escrevi — nem faço. Acho feio. Mas eu lembro bem de quando você, em um dia, ao acaso, abordou-me e falou disso, que achou seu blog terrivelmente triste e deleotu. Por impulsão. Toda cheia da impulsividade, que nem eu. Dia desses eu estava relendo umas coisas que eu escrevi quando estava cheia das dores de amor e dos melodramas. Nossa, fiquei horas rindo daquilo, aliás, nesses tais dias desses, eu estava meio sem coração, calculista. Enfim.

Que bom que voltou. :D
Beijo.

raquel disse...

Esse negócio de sair tudo na lata é um pobrema.
(é que uma vez eu estava no ônibus, daí uma moça disse:
— Como que você tá?
— Tô mais ou menos, né. Tô com uns pobrema.
(querendo tirar com a cara dela, a moça disse com ar debochado)
— Qual é a diferença entre pobrema e probrema?
— É que probrema é essas coisas do dia-a-dia, né, corriqueiras. Agora, pobrema, é aquele pobremão meeeeesmo!)

Estava Perdida no Mar disse...

Adorei a volta. Eu tb sou meio assim: vivo pra escrever, escrevo pra viver.
Beijos

Raquel disse...

É! Eu sempre faço posts do nada! Coisa incrível, só que normalmente nunca tem ninguém pra ver no exato momento em que posto.

Olha, eu sou a mais santa paciência e escuto histórias de vida numa boa. Mas eu estava cansada de ouvir todas as coisas boas da vida dele. Caraca, não tinha desgraça! Mas eu não disse nada, aliás, eu nunca digo nada, eu não consigo falar pra pessoa calar a boca e nem ser grossa. Preciso ser ruim.

E eu não tenho coragem de morder alguém de maldade e nem fazer coisas ruins pra ninguém. Sou muito mole.

J@de disse...

Quem escreve feito vc não conseguiria mesmo ficar muito tempo parada!!
Bem vinda!!
Beijos!!

☆ Sandra C. disse...

tenho a impressão (leve) de que você está indo para a profissão errada...

Postar um comentário

Fique a vontade para deixar sua opinião, mas seja civilizado.