sexta-feira, 25 de julho de 2008

The Scientist

Não entendo porque parece ser crime contra a humanidade o fato de alguém não se dar bem com a família.
Família que eu digo mais pai e mãe mesmo.
Muita gente acha um sacrilégio. E eu acho um absurdo pensamentos como este.

Sabe, eu não sou a mais amada da família. Hahaha. Aliás, quase sempre que é dado um mal exemplo, meu nome tá no meio.
Mas calma, não sou traficante de drogas e nem aliciadora de menores. É que 60% da minha família é evangélica e eu sou do demônio uma pessoa, digamos assim, sem crenças religiosas.
Mas não sou atéia, atoa ou sejá lá qual for o feminino de ateu.
Pelo contrário, acredito em Deus, mas não da forma como a maioria acredita. Resumindo, me identifico demais com a Gnose.

Bem, mas não é sobre religião que quero falar, e sim sobre relacionamentos.

Então, daí que por esta diferença de pensamentos e atitudes, infelizmente fica bem difícil uma aproximação. Até porque eu não me esforço pra isso. Falo mesmo.
Não acho que um filho seja obrigado a amar os pais. Aliás, ninguém é obrigado a amar ninguém.
Assim, eu serei eternamente grata a eles por sempre terem dado uma importância enorme a minha educação e terem me dado o melhor ensino que nossas condições financeiras permitiam. Mas não sei, talvez nunca passe disso, de gratidão.

Eu só não entendo o porque de quando falo isso, as pessoas ficam chocadas.
Não entendo mesmo.
Ok, seria lindo se todas as famílias fossem a perfeita réplica das famílias de comercial de manteiga. Todos saudáveis, com dentes perfeitos e se amando descaradamente. Mas, por sorte, perfeição não existe.

E pra quem defende a obrigatoriedade do amor entre familiares, faz um favor:
NÃO ME VENHA COM SUAS CRÍTICAS CONSTRUTIVAS!

Obrigada.

Ps¹.: Maldito me convidou pra um CrossOver. Tem texto meu lá. Vão! Vão! Hahaha.
Obrigada de novo.


Ps².: O título é aleatório. Tava sem idéia e resolvi colocar o nome da música que estava tocando. É do Coldplay.
_____________________________________________________________________________

Update

A Neguitcha (?) me ofereceu:

Brigada! :D
_____________________________________________________________________________

Update 2

Mais um da Talita

Achei esse uma graaaça. *-*

88 comentários:

Thefy disse...

Para mim família é justamente, pai, mãe e irmãos...
Nunca me dei muito bem com meus pais, quando criança e adolescente, mas hoje o respeito que tenho é incondicional, já que com a maturidade vêm o entendimento, a gratidão, a confiança e tal. Amo muito meus pais e agradeço por ter tido uma educação muito boa, afinal, não sou nenhuma rebelde sem causas (não mais..rsrs) e quando vamos chescendo, as opniões formando, muita coisa muda, daí passamos a observar o mundo de uma esfera...
bjokas..

Maldito disse...

Família não é sangue, família é sintonia Naty,...

Obrigado por aceitar participar das minhas loucuras!

Bjs
Inté!

LindaRê disse...

Assim, eu acredito que o amor de família (pai, mae, irmãos) nem sempre acontecem da forma da propaganda de margarina.
Mas eu acredito que a gente viva em família pra aprender a tolerância, a convivência, a doação.
Mais do que o amor em si, o respeito pelos outros começa em casa.
Não vou fazer nenhuma crítica construtiva, mas nao acho que vc deva se fechar ao que seus pais dizem/demonstram sentir/etc.

Beijos

Drêycka disse...

CHOCADA! Oo

"honrai a teu pai e tua mãe para que se prolonguem os teus dias na terra"... vc ja deve tá careca de escutar isso!! kkk

+ RESPEITO TUA OPINIÃO!

; ) Bjim, see ya!

Amanda disse...

Calma, sem violências! ;D
Eu acho que o pessoal da minha família me acha estranha pq não curto badalações, sou católica não praticante e sofro muito só de pensar em ir pra missa, porque não devemos fazer as coisas obrigados e sim de coração (que comovente essa frase, parece comentarista da LBV), mas se o seu relacionamento pai-mãe-filha é complicado não sou eu quem vai te apedrejar, espancar e afins.
Você que convive com eles e sabe o que acontece. Né?
SejE feliz! haiuahaiuahia
;D

Paulo R Diesel disse...

Taí uma coisa que muitas vezes se pensa mas nunca ou poucas vezes se diz.
Também tive um relacionamento difícil com os meus pais e por toda a minha vida e a deles nunca nos entendemos.Hoje já se foram mas continuo com as minhas opiniões e posições e só fica chocado quem não assume e de risinho em risinho vai construindo uma montanha de hipocrisias que vai alimentando o relacionamento.

Bj, Nathália

Amanda disse...

Aaaah e eu não sou vegetariana não! haiuauahiaha
Tava cansada daquele layout e como sou muito tapada pra mexer em html's da vida ¬¬ só me resta trocar os modelos do blogger...
hiuahaiuahaiau
preciso me especializar...
xD

Li Barreto e J Paulo disse...

Menina, foi péssimo eu não ter avisado q mudei o endereço do blog! Q bom q vc me procurou com a Ja K.! Ahhhh...surpresa! Vc passou no teste! BJUS e visita meu fotolog: www.fotolog.com/alinesan

Layz Costa disse...

Concordo contigo, não precisa ser uma regra o amor entre familiares.
Aqui em casa, por exemplo, meus pais são evanagelicos e eu também sou, mas sou beeeem diferente deles em muitas coisas. Eu acho que existe um limite pra tudo, até pra religião. Tudo em excesso faz mal. :~

Oh Nathália, me diiiz como é que coloca os selos assim, passando?
:S
eu sou uma demente em coisas de blog, já tentei mas não consiigo.
:x

Nina disse...

Eu não sou religiossa, mas dou sorte da minha familia não ligar mto para isso... não tenho uma relação das mais lindas com a família não... será que eles me citam como mau exemplo? Agora fiquei curiosa..

Amanda Mezêncio disse...

É,
Tudo relacionado à família gera certa polêmica. Filho é sim obrigando a amar pai e mãe, respeitar os avós, não brigar com os irmãos, e por ai vai.
Eu sou meio que a ovelha negra da família, e a religião tbém é o motivo. Metade a família é evangélica e a outra espírita (meio louco né?). E eu acabei ficando com a cabeça cheia e não segui pra nenhuma delas. Hoje tenho a minha fé, e acho que é isso o que importa.
Concordo com você, temos é que ser gratos, ter consideração e não seguir uma linha do que é certo ou errado aos olhos da humanidade.
E sobre sermos ingênuos querendo crescer. É sempre assim, só depois quando a saudade bate que percebemos o quanto o tempo corre e as coisas vão ficando pra trás.

Bjus!

F.M. disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk
pode ter certeza que sim!!
e eu to indo la na casa dela já já!
imagina ai as penas voando e a gritaria na hora do abraço?
imaginou?
pois vai ser pior que isso
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
mondibeju

F.M. disse...

Tenho uma tia que fala:
Familia é uma merda, so ser ve pra ti criticar...realmente, todos se entrometem na nossa vida e sempre estão ti dando conselhos...
acho isso um saco!
mas amo minha maezinha com todas as forças, mesmo metendo o bedelho onde ela não eh chamada!!

Cinthia disse...

o lance de família é totalmente certo, já pensou se toda família fosse igual a comercial de margarinaa?? dãã..totalmente sem noção!

beeijo

amália :) disse...

"É que 60% da minha família é evangélica e eu sou do demônio uma pessoa, digamos assim, sem crenças religiosas."
aconte comigo também, e o pior, o meu pai me obriga a ir pra igreja e eu não quero, ai volta e meia discuto com ele. e, sinceramente, eu não gosto muito da presença dele nao :D mas ai já é outro caso...

[momento novela mexicana]
adorei o título. :D:D:D
aaah, eu admiro taaaaanto a sua criatividade e a forma como vc encara as coisas. posha, parabéns tá? parabéns mesmo. quando eu crescer quero ser igual a vc >.<
ah, e eu sei que isso ta parecendo puxa-saquismo, mas não é, não é mesmo. é tudo de verdade. :D
[/momento novela mexicana]

bjo ;*

Nina 512 disse...

o.Õ

e q colica essa nao?!

eu sempre fui mt assim com a minha
mae... mas nosso relacionamento tem melhorado e bah...

ops, sorry, prazer, Nina.
Te achei por ai e gostei daqui.

bjo

Mila disse...

Oie!!!
Vim retribuir tua visita no espamos e te convidar pra conhecer o meu mundo... tudo bem que cheguei num post polêmico... que se choca com vários dos meus... Mas concordamos que não existe obrigação de nada. Sou seu oposto, mas isso não me faz melhor. Isso, acho, é apenas uma questão de sorte, já que a gente não escolhe, ou de carma... o que a Gnose explica bem... alias... já frequentei a gnose na minha adolescencia... mas não é esta que vc indicou o site... eu adorei... os aprendizados são incríveis... pena não ter continuado... ou não... sei la... hehehe
Venha me visitar!!!
Beijos Mila

Talita Corrêa disse...

Hummmm.. nao vou criticar e nem dizer q concordo com td, ok?
Apenas acho que familia nao deve onfluenciar em todas as decisoes que tomamos.

Bjos... e vou sim visitar o blog do Maldito =)

Talita disse...

HAHAHA!

É,graças à Deus perfei~ção não existe.

Presente pra você no meu blog ;*

Daaia disse...

Não gosto da minha familia em geral

e eu e minha mae nao se damos bem..

raai. disse...

HEOAWHIOAWHOEHAWO

eu amo meus pais, não é so gratidão, é amor mesmo, mas eu conheço pessoas assim como você que tem no maximo gratidão por eles, mas isso não significa tratar mal e não respeitar, por isso entendo :D

;* Nati, saudade

Samura disse...

Não que minha vida seja como um comercial de manteiga, mas até que gosto da minha familia. Não por obrigação sanguínea, mas por convivência.
Claro que existem divergência de idéias, arranca-rabos ocasionais, mas acho meus pais relativamente democráticos.
Mas entendo (ou acredito entender) seu lado: alguns evangélicos são f#das, só não os mate por causa disso...

Salve Jorge disse...

Alquimias
De gostar
Vadias
Sempre a oscilar
Gratidão
Ou percepção
Das bases do caminhar
Da privação
Que ninguém pediu
Mas que também não se omitiu
Quando viu
Seu precisar...

Apobw disse...

Ah, eu te entendo, mesmo! Eu queria mto ter mais afinidade com meus pais mas tenho medo, sim MEDO! Sei lá o que eles vão achar de mim e se eu for 100% verdadeiro com eles corro o risco de nunca mais fazer as coisas que eu faço e deles tentarem me fazer ser uma pessoa que eu não sou.

Raquel disse...

Tudo bem que a sua família não te ame porque você é o demônio em pessoa. Mas eu te amo, ué. Hahaha, isso que importa, não é? Não é? É sim, biexo.
O ruim é que 99% da minha família é evangélica e eu, teoricamente, também sou. Mas eu sou mei-agnóstica-mei-hedonista-mei-tudo. Um horror.

Tá, amo vozê. Qualquer dia apareço na faculdadje que fica na boca do vulcão só pra te visitar, tá?

Dama de Cinzas disse...

Acho tb que não temos obrigação de gostar de pai e mãe. Nem eles da gente...

Minha relação com minha família é complicada , me dou um pouco melhor com minha mãe e quase nada com meu pai... Mas vou levando porque a distância nos beneficia, a mim e a eles... rs

Beijos

Estava Perdida no Mar disse...

Ih...fiquei chocada não. Aliás, acho tão engraçado tudo que vc escreve que minha reação é sempre morrer de rir.
Agora, sobre religião e ter o nome citado em maus exemplos eu sei bem como é...e olha que me formei, sou bem empregada, não tive filho na adolescência e nunca fui piranha. Mas tb não segui a "regra" da maioria das mulheres da minha família: casar, ter filhos e saber cozinhar...hahaha. Ah, a maioria é evangélica ou católica...então, falar na frente delas que sou kardecista é o mesmo que dizer que vendo minha alma ao capeta...hahahaha.

Nem ligo. Eu me divirto e falo mais ainda...Quando mais zoam, mas eu falo...rs...

Ah, obrigada pelo coment no meu blog. Vc levantou minha bola...rs

*Raíssa disse...

Minha família também é evangélica e eu não tenho religião e só acredito em Deus como você! Será que somos parentes distantes, primas de 10º grau? hahahaha

Poxa, finalmente encontrei alguém que pensa como eu, car*lho!!
As pessoas acham que somos obrigadas a amar a nossa família, mas não escolhemos quem queremos que ela seja. Por sorte, ganhei uma mãe maravilhosa e me dou super bem com ela. Já meu pai não é nenhum exemplo de ótimo pai. E o resto da família, excetuando-se meus avôs e avós, por mim vão todos pra vala! Falo mermo! hahaha

Daqui a pouco vou ler o seu post no blog do Maldito!

Beijos

TOOP disse...

ah. Nem todo mundo nasce em uma família igual a minha.
Uma família onde não se crê em nada.... e onde toda a loucura é louvada.
:o

rs
;)

Layz disse...

Não tenho gmail.
:x

layzcosta@hotmail.com
beijo
=*

www.layzcostta.blogspot.com

Bill Falcão disse...

Penso que família a gente tem duas: aquela onde nascemos e aquela que encontramos pela vida. As duas são complicadas, pois envolvem relações humanas, e o tal homo sapiens me parece muito atrasado pra resolver essas pendengas. Mas, com o tempo, creio, quem tem que ficar, fica. Da primeira ou da segunda família.
E um bjooooooooooo!!!!!!!!!

NANDO DAMÁZIO disse...

Aaaaahhhh, a Humanidade PRECISA ler isso !!!!!!!!!!!!

Por isso que te indiquei como o "melhor blog do Brasil" .. Quer dizer, mais ou menos isso, vai lá ver !!

Posso confessar ?? Eu não amo minha família !! Não da forma como mandam .. Será que isto é pecado ??

instantes e momentos disse...

gosto do teu modo de escrever, gosto de vir aqui.
Maurizio

Cin disse...

Acho que isso foi um desabafo, e desabafos a gente só ouve e não opina.
Bjinhos!

Cacá BH disse...

minha amigaaaaaaaaaa
noh... me sinto assim como vc...
amo minha mãe, mas não me dou bem com ela.... esse texto resume direitinho o que quero dizer... quem finge que ama demais e que é feliz demais com a família, pode ter certeza, é pura hipocrisia....
grande texto....
beijos

Pero Vaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jaque disse...

Come up to meeet you, tell you i'm sorry. You don't know how lovely you aaaaaare...
ahahaha

Eu tbm não tenho um relacionamento muito agradável com meu pai. Mas tenho motivos pra isso, não é uma coisa sem explicação. Na verdade, eu que não consigo engolir muitas atitudes e pensamentos dele, e por causa disso a gente sempre tá em conflito, não de "bater boca" todo dia, não é uma coisa tão "explícita", mas sempre rola aquele clima pesado. Por ele a gente vivia como uma família sorridente, unida e feliz, mas as coisas não são tão fáceis assim. Forçar uma coisa que não existe não é comigo. Eu o critico muito.
Só se ama quem a gente admira, respeita, se identifica... parentes são pessoas normais, então, se nada disso rola em relação a eles, fazer o que...?! Forçar é que não dá. Nessas horas, sangue não significa grande coisa...
Se for pra eu ter um filho, um dia, e tudo que ele sentir por mim for gratidão, prefiro não ter.

Bjoteligosempre

A n i n h a a disse...

oii

primeira vez que visito o blog, e posso dizer que adorei.
Você fala o que pensa, e expressa muito bem a sua opinião.

Confesso que nunca tinha pensado por esse lado quanto à família, mas não acho que seja uma forma errada de pensar. E fatão, famílias de comercial de margarina são de outro Universo...

beiijos

Elis disse...

pra mim fa,ilia e um laboratorio da vida...pai mãe, irmão...tudo...
faz parte sofre junto ..rir junto etc e tal...! e se dar no relacionamento c eles...e teste de provação QUE DEUS NOS DÁ...!
xerooo fofix!!!

Pedro Favaro disse...

Obrigado a amar. AUUAHAUHAUHA
Até engraçado forçar um sentimento a existir!

Flah disse...

Bom, como sou um péssimo exemplo pra falar de família, me abstenho, rs...

E bela, quando tiver tempo, dá uma lida num post que tive de publicar no meu blog mesmo a contragosto, sobre um maníaco do parque, ops, do blogger. Coisa super desagradável, mas enfim, não teve jeito.

Beijos!

Nataliinha disse...

Ngm é obrigado a amar ngm . Criou-se essa forçação de barra .

O lance é manda todomundoseferrar !

Conheço siim a UEZO .

Sorte nas aulas.

Bjbj =)

Igor Isídio disse...

HE HE HE
É engraçado, as pessoas sempre se chocam e ainda tentam disfarçar com um comentariozinho simpático, né?
Deve ser uma sensação parecida com a que sinto quando vejo a reação das pessoas ao saberem do meu ateísmo.
Assim como alguns só faltam juntar os gravetinhos pra me queimar na fogueira inquisitorial, outros também devem pensar que você pe fã da Suzane Von Richtofen...
É duro não ser igual a todo mundo! =/
Beijo!

Dayane disse...

Agora qm sumiu foi eu ¬¬".
Perdao minha querida.
Entao,quanto ao post,comigo acontece o mesmo.Eu sou a vagabunda(no sentido de nao "trabalhar")/doida/maloqueira/sem futuro da família.passei grande parte da minha vida odiando e pensando ser odiada pela familia,ja fugi de casa,ja disse coisas terriveis,fiz grandes barracos (eles tbm,logico,eu nao era a unica "malvada" da historia"),mas sabe o que eu percebi?Apesar de td,nao consigo viver sem eles,apesar de TUDO mesmo,eu os amo muito ,de mais,mas isso nao precisa ser o tempo todo.Nao ha viloes e mocinhos nessa historia,eu os incomodo tanto qto eles me incomodam,o negocio eh a gente tentar se suportar e relevar as coisas ruins,pq a familia tem seu lado bom tbm.Eu soh parei e pensei q nao qro crescer e ter uma visao amargurada da minha familia.Tente isso tbm,pode ser um preço amargo a se pagar mais pra frente.Bjo grande.E ahhhh,eu cresci os olhos em um certo selinho seu... (coisa feia Dayane,humpf!),rsrsrsrs.

Ju Pietra disse...

Depois de passar por "n" igrejas, tbém sou meio agnóstica, até porque pra seguir religião vc tem sempre que olhar pra cima. Se olhar pros lados, vê que as pessoas ali são humanas e apesar do que pregam, têm defeitos e esses defeitos não são suportáveis. O problema que olhar SÓ pra cima é muuuuito difícil...

Qto ao amor, não dá pra simplesmente botar um 38 no meio do peito e dizer "ama, desgraçado"... Se a convivência não rola direito, o amor tbém não vai rolar..
Mas no meu caso, apesar de tudo, sempre rolou... Não incondicional, mas rolou..
Beijo
Ju

Letícia disse...

às vezes eu não dou bem com a minha mãe porque somos de religiões diferentes. Ela quer que eu siga a dela, mas eu gosto da minha, e também, grande parte da minha familia é evangélica.
mas sei lá, geralmente não sigo os pensamentos dos outros em minha vida, porque se eu me ferrar, que me ferre por minha própria causa.

:*

*Carol Porne* disse...

Família é uma coisa meio difícil de explicar...e no caso da minha a religião acabou sendo um grande divisor...

Beijos Natália...boa semana pra vc...!

Rafa disse...

Ah, eu amo minha família.
Cada um tem seu jeito de sentir, segundo a sua realidade.
Mas pra que falso moralismo?
Ninguém precisa fingir o q não é.

C.R disse...

kra,eu num vim aki exatamente p/ comentar, só p/ dexar um recado: é q como eu gostei do seu blog, coloquei um link no meu para o seu, então se você tiver um tempinho, passa lá no meu e vê se você gosta e me ajuda a divulgar!
bjus, e boa semana

Ciça. disse...

Concordo plenamente com você! Tenho uma relação super conturbada com meus pais. E meu nome SEMPRE é citado nos maus exemplos!

:*

C.R disse...

kra,eu num vim aki exatamente p/ comentar, só p/ dexar um recado: é q como eu gostei do seu blog, coloquei um link no meu para o seu, então se você tiver um tempinho, passa lá no meu e vê se você gosta e me ajuda a divulgar! bjus

Dayane disse...

Eu e minha família somos da mesma igeja,somos todos crentes,mas meu irmao eh um crente fanatico insuporavel e meupai acha que td é do diabo,inclusive a minha profissao na verdade,principalmente.Diria que eu sou uma pseudoartista).
Entao neh,eu sei que é muito feio pedir as coisas,ainda mais pq eu vi um outro selinho legal e tal...mas levando em conta que meu aniersario esta chegando...e tbm que eu nao sou uma pessoa assim,que pede as coisas pros outros...sem contar que eunao tenho postado muito...
ESSE BLG È ESTAMPADO DE IDÉIAS CRIATIVAS e SIMPLESMENTE IRRESISTIVEL
Pronto,falei!

Talita disse...

Mais um presente pra você lá no blog :)

Geminiana Doce disse...

Então eu só comecei a me dar bem com meu Pai esse ano e mesmo assim porque passei dois anos morando muito loonge para poder analisar o que nos afastava!
Tenho uma irmão patricinha ao extremo e metida a Puritana,resultado:Discussão quase todos os dias!!!kkkkkkkkkkkkk
A minha familia não é perfeita e acho bacana as difernças!
Bjos lindona e uma semana maravilhosa

Zek disse...

Cheguei aqui através do " ditos pelo maldito" ... mas vale a sabi e célebre frase " Não precisa ter conta sanguinea, só precisa ter sempre um pouco de sintonia".

Patrícia disse...

Por isso que eu digo que "amigos são a família que a gente escolhe". E me irrito quando a mãe diz "você tem apenas UMA irmã, tem que se dar bem com ela", não importando se ela quer se dar bem comigo apenas no campo patrimonial. Aff. Me poupem! Mas eu amo meus pais e eu sei que é recíproco. E acho que o amor entre a gente é o mais lindo. E eu lamento quando as pessoas não têm a mesma sorte. E agradeço por morar longe. Família (grande como a minha é) 24 horas dando pitaco é... (complete a frase).

Cada um, como eu falei, é que tem sua 'sorte'. Se esta a sua opinião, eu não vou me chocar, pelo contrário. Vou admirar sua coragem de dizer isso. Muitos 'se suportam' por anos e são frustrados. Você se renova ao escrever e eu ao ler aqui e no blog do Maldito suas idéias.
Também dá trabalho explicar o que é ser deísta e ao mesmo tempo, sentir vontade de ir a uma igreja sozinha.

Ricarda Caiafa disse...

oi nath... mudei de blog...
espero que continue me acompanhando... beijos

Lyani disse...

Eu concordo com alguém aí dos comentários que diz que com o tempo muita coisa muda. E como muda!!!

E ninguém realmente é obrigado a amar ninguém. Amor não é obrigação, é totalmente diferente.

E acho que cada um pensa de um modo e é necessário respeitar, afinal se todo mundo pensasse do mesmo modo que graça teria???

bjokasssssssssss

Conde Vlad Tepish disse...

"Grande membro, isso foi cópula", oh, sorry, eu estava lendo o "Ps.: Claro que você pode dizer: "Caralh*, isso foi fod*!", mas aí é palavrão como forma de... Ah, você me entende?" e imaginei alto minha opinião... Well, aprecio vossa honestidade e sinceridade! A Terra precisa de muitas mulheres bonitas e com senso de opinião firme como vós! Até me lembras-te da última vez que jantei com meu médico-particular, Dr. Hannibal Lecter, e após o delicioso guisado até pedi a ele que me convidasse para um novo jantar, porém, ele em negativa respondeu: -Impossível dileto conde, 'mãe só se tem uma'.... É, fazer o quê...

O importante é sempre mantermos nossa independência custe o que custar! Os tibetanos que o digam! Beijos do conde, nhac, nhac, nhac, voei!
P.S. Gostei da 'máquina de escrever' que Lady Mariana te deu, e acho que te confundi com a tua companheira de blog, aquela que não curte acordar cedo... mas tudo bem, ademã que eu vôo em frente!

.a negra. disse...

HUm...até então admito nunca tinha ouvido falar da Gnose..gosto de entender novas idéias e depois vou dar uma olhada nessa...
Bigadaaa pelo selooo gata!


e qto ao convivo, passei 6 anos da minha vida sem dirigir uma palavra seuqer com meu pai.
e tinha meus motivos.
Sou evangélica de uma igreja totalmente diferente do restante da familia..
temos as nossas direfenças, mas aprendemos a conviver com elas.


Se eu consigo..vcs conseguirãão tb!

;)

Beijuuu miga

Tarci disse...

Cara, eu até entendo você. Sempre fu apegada à minha família. Mais como algo que me faltasse. Sabe quando você não tem algo por inteiro e por isso você tem tanta necessidade daquilo?

Desde que me entendo por gente eu e minha mãe temos diferenças tão grandes que não conseguimos ficar juntas sem rolar uma discussão qualquer.

Ela já falou na minha frente que não suporta estar no mesmo lugar que eu. E eu que morria por eles( meu pai, minha irmã e minha mãe) passei a me questionar neste dia se valia a pena mesmo deixar de agir de determinads maneiras por pensar neles e deixar de ser feliz.

Antes qq coisa que ela falasse ou fizesse eu chorava e me achava a coitada. Um dia cheguei a ir pra faculdade fazer prova achando que quando voltasse não teria mais teto. Pq ela havia me dito que não voltasse mais pra casa.

Depois deste dia, passei a me amar mais. Não escuto mais nada que me magoe sem ter uma resposta na ponta da língua. Sou tachada d errada, pq segundo meu pai eu tenho qu respeitá-la por ser minha mãe. Mais como filha creio que mereço tbm respeito e se eu não o tenho, vou dar pra que?

Aí agora lendo seu post, tbm fico me perguntando. Será que o certo seria a famosa família do comercial de margarina? ou isso é uma utopia. Acho que de verdade, não existe família nenhuma ´perfeita. As pessoas vivem muito de aparência e eu odeio isso.

Ai desabafei .. desculpa!

Sabrina Sancler disse...

de certa forma,concordo em parte com vc,ninguém tem a obrigação de amar,familia é mais do q sangue correndo nas veias.as vezes uma tia pode ser até mais minha mãe do q a própria q me colocou no mundo,é q a sociedade acha q temos a obrigação de ama-los só prq nos colocaram no mundo,em vez de pregar o respeitar...eu penso q se vc não "quiser" amar,não ame,só respeitei-os

bjuss

Babee disse...

ateh hoje minha mae nao entende pq eu nao gosto de ir na missa...

eu acho perda de tempo quando você nao acredita no que o padre fala :/

beijossss

Talita Corrêa disse...

Tem presentinhos pra vc no meu blog...
Bjo

T disse...

Eu entendi super bem teu lado. E não acho que você seja obrigada a amar seu pai ou sua mãe. O mundo prega aquilo de tudo lindo, em comerciais de celular e etc, não isso não é lei. Eu acho legal o respeito com quem te alimenta, ou como você disse a gratidão. Só seja feliz Na, o resto é meio que resto.
Beijo

Gustavo Lopes disse...

Família é o tipo de coisa que não nos permite ser descrita.

Roberto Sena disse...

Olá querida! Desculpe-me pelo sumiço repentino, mas é que algumas tarefas da vida física acabam tomando mais tempos do que realmente queremos! Um forte abraço!

www.sampameulugar.wordpress.com

Carol disse...

Família é complicado... meus problemas começam a partir do momento em que meus irmãos chegam em casa...

Com meus pais é tranquilo, mas acho que se vc não sente AMOR não tem por que mentir. Melhor falar a verdade do que esconder o que realmente sente!

Anônimo disse...

Família que bebe unida é mais feliz. Por essas e outras que sou a favor de uma bolsa alambique do governo. Em prol das boas relações familiares. Sabe como é, a família brasileira e a moral cristã e etc e tal :)

Bjs

R.
http://laudanoeabsinto.blogspot.com

Liis ♥ disse...

AOIEHOIHAEOIHAOEIHAOIHE' bom, amo o teu blog, e nunca tive paciencia pra comentar :B' tbm acho um c* essa coisa de 'oi, nós somos uma família feliz'. aff -.-' bom, mas sucesso pro teu blog, e eu adooro os teus textos ;)

:*

Enxaqueca disse...

Só uma coisa a dizer:

Família é boa em foto.

E eu vou queimar no mármore do inferno também.

E cheguei aos 30 sem casar, pra completar o repertório!

amália :) disse...

update 3 a vista :D
selo pra vc no meu blog, flor. beijo ;*

disse...

Ah, vai, família é obrigação, a gente tem claro a gratidão e tal, mas o que a gente tenta é se dar bem, porque é obrigado a morar na mesma casa, pelo menos durante um tempo. Mas depois cada um constrói a própria vida e a própria família, incluindo aí os amigos. É claro que tem as famílias que se amam e tal. Não que eu ame de paixão os meus pais, mas eu gosto bastante deles, não concordo com muita coisa, bato de frente com um monte, brigo, esperneio e fico com raiva. Mas gosto de outro tanto de coisas. E a vida é assim mesmo. Num gosta dos pais, faz amigos que você goste, constrói uma família que você goste.

Bjo

Thiara Ney disse...

Ixi, eu sou suspeita pra falar disso. Eu nem conheço meu pai... Achei ele pelo orkut um tmepo atrás, mas não tenho nenhum tipo de 'ligação" com ele. Por isso, mais do que nunca, aceito o que vc fala.
Não é pq ele é meu pai de sangue que sou obrigada a amá-lo, ou sentir qq outra coisa. E na verdade, nem sinto nada.

bjus!

Claudinha Bártholo disse...

Oi Nathália, tudo bem???
muito interessante sua postagem...
eu concordo com você, ninguém é obrigado a amar ninguém...eu vivo isso na minha família, minha mãe não fala com a mãe dela...
minha irmã não fala com meu irmão...é foda né, as opiniões não são a mesma só porque somos família! Família não é mole não! Mas o respeito é tudo, e isso vale por muita coisa! Respeito e gratidão!
Beijos.

Luc's. disse...

"Família: ruim com, piór sem."

It's only.
kkkk!

Ow peste, nunca mais entro no msn?
Entra aew, quero fala com vóiz micê.

me excluiu, bloqueou? Esquenta não, a fama é assim mesmo, sobe pra cabeça.
kkkk! mas vc tem a chance de me add de novo.

exdreadluc@msn.com

bjo e te vejo lá

MoizaCARTUNS disse...

Ahh... sei como é esse negócio. Meu relacionamento com meus pais é meio instável: na maior parte das vezes, estamos mto bem; noutras partes, parece que um é carrasco do outro. Mas isso acontece nas melhores famílias :D

Sou evangélico desde o nascimento, mas costumo ser bastante tolerante para com opiniões diversas das minhas. Fanatismo não vale nada!

Abraços

Mary West disse...

Engraçado que já li sobre isso, falando que as vezes as mães por exemplo senten-se extremamente pressionada por amar os filhos, pq sei lá...É tradicional essa coisa de amor incodicional e muitas das vezes eskecem que as vezes é simplesmente amor cara, pode acabar ou nem existir tão forte assim. Naum sei, não tenho problemas com a minha familia, quer dizer familia p/ mim é meu pai e minha mãe mesmo. Tá bom demais.

Kyhetha disse...

Olha, eu entendo perfeitamente sua opinião.

Eu nao me dou bem com minha mãe, mas no minimo sinal de perigo que ela passou ontem (olha lá no meu blog! /o/) meu coração até tremeu de medo. ela podia ter morrido!

eu amo minha mãe, mas isso nao significa que somos o comercial de margarina - filho e mãe unidos para sempre.
é bem pelo contrário.

Tanmi Morais disse...

as pessoas reagem assim mas elas próprias não assumiriam seus problemas em família ou com quem quer que seja, porque por hipocrisia preferem calar o que sentem, para que suas vidas pareçam um 'mar de rosas'.

eu aamo muiito a minha família, tive e tenho bons momentos, mas também já briguei muito, às vezes até sem um motivo forte, porque isso é normal qdo a convivência é diária.

; beeijo:*

Blau disse...

Sabe que eu nunca tinha pensando dessa forma,
sim amo meus pais de paixão mas realmente não somos obrigados a amar ninguém!
Bem pensando(:

Beijo,

Bianca Feijó disse...

Concordo com vc Nathália, família perfeita só em comerciais.
E, religião para mim, Deus, somos nós!

Adoro a forma na qual se expressa!

B.E.I.J.O.S

Daniela Peregrino disse...

Caí aqui por acaso - ou não - e senti necessidade de lhe falar: não sei o que se passa na sua casa, seus problemas...mas te digo: não há mãe no mundo que deseje mal a um filho. Só entendi isso quando fui mãe - tive meu filho com a sua idade.
Só desejo que vc seja feliz e continue acreditando em Deus sempre.

Se quiser me visitar, as portas estão abertas.
Abraço!

Dayane disse...

Ai minha querida,obrigada por atender os pedidos da pidona aqui ^^,rsrsrsrs.
Eu tv vendo uns selos pra te dar qdo eu for distribuir os meus presentinhos,mas parece que vc já tem tds o.O,rs.Blog bom é outra coisa,minha flor!

Jú Carvalho disse...

Meo, penso exatamente como vc...
E as pessoas tbm ficam chocadas qnd falo, acham a maior falta de respeito e tals...E eu sempre digos - é questão de concitos, a começar pelo de respeito!
Muito bom o post :)

Mary disse...

meu pai foi ausente o tempo inteiro... depois de 20 anos quer se redimir... pediu desculpas, coisa e tal... eu perdoei, mas ele quer q eu o abrace e beije e diga q eu o amo... só q ele ñ se toca que construiu uma realidade onde nada (NADA MESMO) disso acontecia. ele (DIZ QUE) mudou, e exige que eu mude meu comportamento tb... mas eu disse pra ele que levará tempo...

o povo só falta me apedrejar por causa disso... mas é pq falar é fácil... viver o que a gente vive, só a gente!

bjo, adorei o blog, muito original!

*¨*Ellaehcarioca*¨* disse...

Existe!!!Eeee
Concordo em gênero,nº e grau com o que você disse sobre gratidão pelo que fizeram por mim e tal,mas isso não me obriga a amar ninguém, assim como não obriga o contrário. Acho que amor é construído, mas se ninguém se dispõe,sozinha não dá pra eu fazer isso. Mas o respeito nunca vai deixar de existir.Bom saber que não sou a única que pensa assim.
bjs

Robson Pylro disse...

Sabe...resolvi isso descobrindo que amor não tem a haver com gostar, amor passa por decisão, tipo: Se vc passa num lugar e seu pior "inimigo", está caido, desmaiado, atropelado sei lá...e te pede pra ajuda-lo, vc com certeza iria se mover...isso é amor!
Dai descobri que posso amar sem gostar! não é um alívio e mais ainda, pra te instigar a ler meus post, existe um que fala de dois tipos de admiração, a boa e a ruim.
Bjão

Postar um comentário

Fique a vontade para deixar sua opinião, mas seja civilizado.