domingo, 20 de março de 2011

if you don't put in the effort, why should i?

Não tem chocolate, bebida, cigarro, música, exposição no CCBB, compras desnecessárias ou companhia que dê um jeito na minha mente quando tenho que ficar sozinha. Nada do que eu faça consegue limpar os pensamentos que invadem minha cabeça na hora de dormir, na hora de acordar ou na hora em que eu tenho que viver. Porque, né, a gente tem que viver 24 horas por dia mesmo... Não é bem o que eu quero, mas é o que tem pra hoje.

Ruim. Ruim demais você achar que conhece alguém mas não entender as atitudes (ou a falta de). Ou talvez eu entenda, só não consiga acreditar que é dessa maneira, que é assim que tudo esteja acontecendo.

Outra merda é ser uma pessoa que se apega aos detalhes. Sabe, você pode contratar uma banda e me mandar cinquenta e sete buquês de flores e me dar uma fábrica de chocolate de presente, mas se fizer uma coisinha, assim, pequenininha, mas que conquiste meu coração, eu nunca, nunca vou esquecer. E vai ser sempre naquela coisinha que eu vou pensar e que vai me fazer suspirar todas as vezes que eu lembrar de algo especial pra mim. Assim como se fizer algo de ruim pra mim, algo que às vezes nem a pessoa que fez percebe que fez, eu nunca vou esquecer. E vou definhar pensando nessa merda.

Aí fica todo mundo tentando me animar. Um amor mesmo. Mas assim, DEIXA EU FICAR NA MERDA UM POUQUINHO, porra! Acho necessário.
Não dá pra ficar cinco anos vivendo de uma forma, tudo ruir meio que de repente e uma semana depois você ficar supimpão. Surreal achar que em sete dias eu vou conseguir me recuperar de mil oitocentos e vinte e cinco. Bom senso, hein, galere? Se não tiver, arranja pra comprar.
Pô, deixa eu ficar com os olhos vermelhos, dois dias sem comer e criar uma playlist entitulada "fossa". É o meu momento! Meu momento ridículo de dor de corno. Depois eu volto com as besteiras habituais.


"Ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos. E outras coisas."
-caiofernandoabreu

29 comentários:

may disse...

Concordo com vc! Se a gente ta depre, num é uma pessoa que vai chegar com uma piadinha que vai nos tirar da tristeza. Eu sou a favoor do silêncio tambem, do sofrimento, de ouvir músicas de fossa, porque o que tiver pra sofrer, que seja de uma só vez né?

beeijo :*

Biel, o Bardo disse...

Por um fundo do poço individual e quarto com janela fechada, sem luz, sem som. Um vazio para se despejar as frustrações, mágoas e decepções enquanto termina o sorvete ou o chocolate.

Mark disse...

Poxa Nathalia, não lembro de ter visto você tão tristinha assim.
Mas vão melhorar as coisas assim quando você começar a levar tudo em frente novamente.

sahhsantos disse...

Geralmente passo por aqui..mas não deixo coments..
Mas hj resolvi deixar..
Quero desejar uma boa recuperação viu..
E não se esqueça : Uma vez no fundo do poço não há outro caminho a não ser subir .!

Um beeejo Sah

Dama de Cinzas disse...

Bem... nem preciso dizer que sou parecida contigo, porque é exatamente assim que me sinto.

Agora esse post está realmente esta revoltado e de uma forma objetiva... Será que você tomou aquela decisão que conversou comigo no carnaval?

Beijocas

Dea Carvalho disse...

Odeio ditadura do sorriso! Esses sim são os anormais da história.

Coca disse...

Naaathyyyy não morre!!

fica down, curte o momento, mas não morre tá??

gente, sério, td ruiu assim, desse jeito?? q medo...

mas olha só, pelo menos vc ainda nos tem...

silvioafonso disse...

.

Eu conheci você nos arredores
da LOBA, mas confesso que não
sei mais do que eu tenho medo;
se de ser esquecido por ela ou
ignorado por você...

silvioafonso






.

Loba disse...

(este silvioafonso é muito doido! rs...)
bom, eu sou diferente de vc. os detalhes - detalhinhos mesmo - eu nem percebo. mas igual a vc sou qdo me ganham ou me perdem. especialmente se me perdem. aí fica doendo por um tempo que só eu sei o qto é preciso doer. isso é individual e instransferível, né?
eu gosto um tantão dos seus textos, menina. lendo-os me sinto quase isso:uma menina.
beijo!

B. disse...

sorrisos não são feitos pra todo momento. Sao feitos pra dar quando sua alma realmente sorri.
ja fiquei sete dias no quarto sofrendo dor de corno, e quando a hora de levantar chega agente levanta, por que na verdade o que nao faltam sao maos esticadas, é so agarrar.

Gosto do seu cantinho aqui, to seguindo! passa la : http://snaillounge.blogspot.com/


FÉ, melhoras :*

Amanda Pinto disse...

É baby,
Vai lá com tuas dores e rancores. Depois vai melhorar, mas demora. Infelizmente.
Beeesos no s2

Garota Enxaqueca disse...

Certo, eu acho justo que você curta a sua fossa.

A fossa é que não pode curtir com a sua cara.

Sorte por aí, guapa....

Fernanda Azevedo disse...

Fossa é massa! Vai, mulher, arraste essa corrente até cansar. Quando cansar, deixe que ela arraste você até o fundo do poço. Quando você der de cara com a dura magma, espere, espere, espere... sempre tem um super vulcão para nos salvar. urrull

lml

Marcella disse...

" Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada 'impulso vital'. Pois esse impulso ás vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como 'estou contente outra vez' "

*Natália* disse...

Tem horas que temos a necessidade de enfiar a cabeça no saco.

e é bom... e concordo ctg qd pequenas atitudes valem muito mais do que mil coisas gigaaantes.

beijocas.

KahKau disse...

Adorei o texto! Já passei por vários momentos ruins sozinha, em silêncio. Apenas chorando no banho e me perguntando porque isso teria acontecido e porque fui tão idiota. Só comia chocolate, e as músicas eram melancólicas. Mas foi isso que me ajudou a se superar, a pensar, a respirar um novo ar e me redirecionar.

katy disse...

olha só que interessante, nós temos muitas coisas em comum... boa fossa!!!

Filipe disse...

Até pra falar de término de relacionamento por motivo de corno, você tem bom humor...

PORRA CARA, sou teu fã!

Agora pode voltar a chorar =*

Flávia disse...

Me torturo por anos por causa de detalhes e não consigo esquecer nem apanhando.

Curtir a depressão é necessário, depois o tempo vai amenizar e um dia tudo voltará a ser lindo. Então força aí, minha jovem!

Pitty que Pariu disse...

Menina, deve ser conjunção astral. Todos ao meu redor, isso me inclui, estão nessa amarração de bode. Término coletivo! É qualquer coisa...alguns andam roendo a corda, reatando, e outros ainda decantando a dor. E o interessante é que sofrendo mais ou menos todos têm a exata percepção de que ESSA PORRA PASSA.

Coca disse...

aliás, escuta radiohead... melhor banda de fossa EVER

Bill Falcão disse...

Ué, voltou? Descobri por acaso, visitando outro blog. Lá dizia que o "Cólica" tinha uma postagem de uma semana atrás. E eu perdi?
Bom, achei.
Mas meu respeito, minha admiração por você, não permite, não deixa que eu comente nada sobre o post. Apenas digo que passei aqui e deixo o meu bjoo!!!

*Raíssa disse...

Eu me apego muito aos detalhes que nem você. Sempre vou pensar naquele detalhezinho quando lembrar de alguém, seja quem for esse alguém.

Todos nós precisamos de um momento fosse alone. Tem horas que mesmo sem estar na fossa preciso ficar sozinha com meus pensamentos, sem ninguém me perturbando.

Beijos!

S.tephanie M.ello disse...

Ficar na merda é necessário, dure o tempo que durar...
Odeio que interrompam esse meu tempo.

Patrícia disse...

Ah, é isso ai!
Um momento de cada vez... eu digo pra minhas amigas: chore o quanto tiver vontade, aí quando cansar você fica bem!

Gostei daqui, vou seguir!
Beijo

Jhennifer Cavassola disse...

Ainda bem mesmo rss...

katy disse...

cadê você?!!!! saudade dos textos.

Petite Sorcière disse...

Tem gente que não consegue cuidar do seu é que resolver a fossa do outro.
Curte a sua e se ela vai passar ou não, quanto tempo vai durar também é uma escolha. Sua é claro.
Sofrimento é bom, é quando eu lembro que ainda tenho um coração.

Cai Fora Deodora disse...

" Deixe-me ir preciso andar, vou por ai a procurar, rir pra não chorar..." Marisa Monte

Lembrei desta música ao ler este texto seu.

Adorei como escreve!

Bj da Déo

Postar um comentário

Fique a vontade para deixar sua opinião, mas seja civilizado.